sexta-feira, 11 de setembro de 2009

texto de Edimilson Vieira sobre o déco nordestino


Durante muito tempo, no Brasil, a arquitetura Déco foi vista como uma linha da modernidade, sendo diferenciada do modernismo corbusiano, pelo subtítulo “francês”. Existiam, para as revistas de arquitetura publicadas no país, dois modernismos: o francês (decorado e burguês), e o alemão (limpo de elementos decorativos e com um caráter socialista).
Pois bem, o termo Art Déco, aparece em 1966 e o estilo que recebia esse nome, no Brasil foi, até 1994, pouco referenciado. Era a arquitetura dos grandes monumentos do Estado Novo, a ditadura de Getúlio Vargas, aparecendo em edifícios como o Ministério da Guerra e a estação Central do Brasil no Rio de Janeiro, nas agências dos Correios e Telégrafos, escolas públicas e demais edifícios de caráter oficial.
Detalhe da torre e relógio da estação Central do Brasil

Detalhe do edifício do Banespa, na cidade de São Paulo

Mas não só. Também a arquitetura residencial e mesmo comercial apresentou ótimos exemplares construídos dentro desse estilo.
Provavelmente, a ligação do estilo arquitetônico com uma ditadura tenha sido o motivo para que o mesmo fosse deixado à margem nos estudos sobre a arquitetura nacional.
No decorrer da década de 1990, vários estudos começaram a aparecer, tendo o Art Déco como foco, o que levou à realização do I Seminário Internacional Art Déco na América Latina, acontecido na cidade do Rio de Janeiro, em abril de 1996. Vários livros, muitos artigos, retomada de antigas publicações e até o tombamento do centro da cidade de Goiânia, pelo IPHAN, em decorrência do acervo Art Déco aí existente.


Capela do colégio Ateneu Dom Bosco, em Goiânia

Trampolim do Lago das Rosas, em Goiânia


um artigo do artista plástico pernambucano Edmilson Vieira intitulado Flagrantes do Art Déco Nordestino, datado de outubro de 2008, que é uma preciosidade sobre o assunto. Além de alguns poucos artigos já publicados em revistas como AU e Projeto, pouco se sabe sobre o Déco nordestino que, dentro de uma linha universal amplamente conhecida, apresenta suas particularidades e especificidades de criação.

Residência na cidade de Garanhuns, apresentada no artigo

Rádio Jornal de Garanhuns, também apresentada no artigo

Artigo pra se ler e arquivar na pasta dos preferidos.

2 comentários:

  1. Amigo Gustavo, obrigado pelas suas palavras de elogio.
    Grande abraço
    Edmilson Vieira

    ResponderExcluir